O(s) uso(s) de documentos de arquivo na sala de aula

Arquivo Público do Estado de São Paulo
Núcleo de Ação Educativa
Oficina Pedagógica: O(s) uso(s) de documentos de arquivo na sala de aula
Graduando: Eneas Sicchierolli Neto (Universidade de São Paulo – FFLCH-USP)

 


1. Tema: As décadas finais de vigência da escravidão no Brasil (século XIX) e o processo que levou a emancipação da população escravizada.


2. Título: A conquista do fim da escravidão no Brasil: as formas de resistência da população negra escravizada e o movimento abolicionista e parlamentar.


3. Justificativa:

     Discute-se hoje em dia a importância de a educação brasileira incorporar temáticas relativas à História da África e da Cultura Afro-Brasileira nos currículos escolares. Esse foi, justamente, o objetivo da Lei 10.639/03, sancionada pelo ex-presidente Lula em 2003. Mesmo assuntos tidos como “clássicos” do currículo escolar do ensino de história como a temática da escravidão e do processo de abolição da escravatura no Brasil costumam ser marginalizados ou tratados de forma inadequada e superficial, com se não guardassem nenhuma relação com o presente tanto nos materiais didáticos disponíveis quanto pelos professores em sala de aula.

 

Várzea do Carmo: transformações no espaço e no cotidiano da região

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS
DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA
2º SEMESTRE
BRUNA OLIVEIRA DA SILVA
 
Sequência Didática:
Várzea do Carmo: transformações no espaço e no cotidiano da região
 
SÃO PAULO
2013
 
 
A proposta desta sequência didática volta-se para alunos do Ensino do Médio. Considera-se para isto, que a duração das aulas ocorra no período de aproximadamente 50 minutos. Foram programadas para compor esta sequência, quatro aulas.
Esta sequência didática abordará a relação entre intervenções políticas no espaço da cidade e o contexto de remanejamento social das populações residentes em áreas que sofrem estas intervenções. Para tanto, proponho a análise de duas intervenções políticas realizadas, em temporalidades diferentes, na região da Várzea do Carmo, espaço conhecido atualmente como Parque Dom Pedro II.
 
 

Memória e Movimentos Negros: A Cidade de São Paulo através das resistências

Universidade de São Paulo
Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
SEQUÊNCIA DIDÁTICA
Memória e Movimentos Negros:
A Cidade de São Paulo através das resistências
Docente
Profa. Dra. Antonia Terra Calazans Fernandes
Disciplina FLH0425
Uma História para a Cidade de São Paulo: Um desafio pedagógico
Alunas
Gabriela Campos Rix 
Gabriele de Novaes Santos
2013
DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA
 
 
 
Proposta de SEQÊNCIA DIDÁTICA para o Ensino Médio
 
Memória dos Movimentos Negros:
A Cidade de São Paulo através das resistências
 
 
Sumário
 
Introdução___________________________________________________________________5
     Histórico dos movimentos negros – aporte ao trabalho ....................................................... 7
     Objetivos Específicos ..................................................................... 9
Aplicação da Sequência Didática____________________________________________________10
     Recursos Didáticos .........................................................................______.............. 10
     Organização ...............................................................................______............... 10
                      Parte I São Paulo e o racismo a partir da música _____________________ 11
                      Parte II Análise e comparação de documentos________________________14
                      Parte III Memória e Vida das resistências – pesquisa na comunidade_____20
     Considerações Finais_______________________________________________________20
Bibliografia__________________________________________________________________21
 
 
“Dizem de mim infernos,
Só não falam de mim
o céu que me querem tomar”.
Na boca do povo, Éle Semog
 
 
Este material propõe trazer a discussão sobre a História da Cidade de São Paulo como palco de opressões e exploração, mas também das resistências do povo negro. Desejamos que essa ferramenta auxilie o professor a armar seus alunos para o combate ao racismo e valorização da população negra e sua memória.
 
Desejamos a todos uma boa leitura.