caipira

caipira

Músicas: Moradia, Gostinho de Saudade e A Resposta do Jeca Tatu

Aluno (a): Laerte Matias Fernandes, Thiago Alves de Oliveira, Conrado Barbosa Silva, Denis Anderson Costa, Ícaro dos Santos Mello, Fabio de Souza Jorge, Angélica Brito Silva e Thassia Ferreira Ramos
Docente responsável: Maurício Cardoso
 

 

Com a famosa toada do sertanejo, com acordes batidos, ritmo andante e acompanhamentos rápidos, Tião Carreiro e Pardinho mostram a semelhança da música caipira mineira com a paulista, na letra vemos uma forte presença da idéia de que no sertão tudo “é tudo do jeito que tem que ser” talvez com certa crítica a desorganização metropolitana, ou a própria desorganização que chega ao sertão.

Música Caipira

Docente responsável: Maurício Cardoso
Aluno (a): Laerte Matias Fernandes, Thiago Alves de Oliveira, Conrado Barbosa Silva, Denis Anderson Costa, Ícaro dos Santos Mello, Fabio de Souza Jorge, Angélica Brito Silva e Thassia Ferreira Ramos
 

 

Documento: caso de um Processo Criminal de 1881

Docente responsável: Maurício Cardoso
Aluno (a): Laerte Matias Fernandes, Thiago Alves de Oliveira, Conrado Barbosa Silva, Denis Anderson Costa, Ícaro dos Santos Mello, Fabio de Souza Jorge, Angélica Brito Silva e Thassia Ferreira Ramos
 

 

Abaixo vocês terão a oportunidade de conhecer um texto que faz parte de um processo criminal que foi analisado por diversos autores da historiografia brasileira. É interessante notar nas entrelinhas do presente documento o dia a dia do interior de São Paulo em fins do século XIX. Em seguida há uma breve análise do mesmo.

Artigo: Velha Praga

Aluno (a): Laerte Matias Fernandes, Thiago Alves de Oliveira, Conrado Barbosa Silva, Denis Anderson Costa, Ícaro dos Santos Mello, Fabio de Souza Jorge, Angélica Brito Silva e Thassia Ferreira Ramos
Docente responsável: Maurício Cardoso
 

 

Velha Praga foi um artigo publicado no jornal O Estado de São Paulo em 1914. Este artigo inaugura a figura do anti-herói o Jeca Tatu em um texto em que Monteiro Lobato descarrega toda a sua indignação com as práticas incendiárias e ociosas do caipira.

 

Vamos aqui, analisar mais detalhadamente este artigo com o intuito de compreender os motivos que levaram Lobato a criticar e criar esse personagem tido por ele como um parasita.

Divulgar conteúdo