Pompéia no Tempo: Ontem e Hoje no Bairro

• Aluno (a): Bruno A. Ribeiro
• Disciplina USP: Ensino de História: um desafio pedagógico
• Docente responsável: Prof. Antonia Terra Calanzas
 

 

Material audiovisual produzido por Bruno A. Ribeiro sobre o bairro da Pompéia, em São Paulo. Contém fotografias do bairro em diferentes tempos. Duração de aproximadamente 00:05:46.

 

Apresentação

Pompéia no Tempo: ontem e hoje no bairro

Filme: Trainspotting

• Aluno (a): Dahanne Vieira Salles, Erick Miyasato, Fernando O. Viana, Gabriel Pereira, Marcelo Akeo Takiy, Marcus Borgonove, Marjorie Yuri Enya, Paulo G. Bastos, Rafael Farinaccio eThiago A.R. Oliveir 

 

trainspotting_filme

 

Análise do filme Trainspotting sob o prisma do tema: Rebeldia e Juventude.

 

Ficha Técnica

Título Original: Trainspotting

Gênero: Drama

Tempo de Duração: 96 minutos

Ano de Lançamento (Inglaterra): 1996

Direção: Danny Boyle

 

Dirigido por Danny Boyle, Trainspotting é um filme baseado no livro de Irvine Welsh sobre cinco jovens escoceses viciados em drogas: Renton, Tommy, Spud, Sick Boy e Begbie (que é, também, viciado em brigas).

Filme: Kids

• Aluno (a): Dahanne Vieira Salles, Erick Miyasato, Fernando O. Viana, Gabriel Pereira, Marcelo Akeo Takiy, Marcus Borgonove, Marjorie Yuri Enya, Paulo G. Bastos, Rafael Farinaccio eThiago A.R. Oliveir 

 

kids_filme

 

Análise do filme Hair sob o prisma do tema: Rebeldia e Juventude.

 

Ficha Técnica

Título Original: Kids

Gênero: Drama

Tempo de Duração: 96 minutos

Ano de Lançamento (EUA): 1995

Direção: Larry Clark

 

Dirigido por Larry Clark, Kids retrata o cotidiano de adolescentes de baixa renda na cidade de NY. Provenientes de famílias que dão pouca atenção aos filhos, seja pela rotina do trabalho ou pelos problemas estruturais das relações no contexto familiar, os protagonistas do filme vão e vêm, tentando encontrar um objetivo na vida, durante esta fase complicada que é a adolescência.

Juventude, Drogas e Rebeldia

• Aluno (a): Dahanne Vieira Salles, Erick Miyasato, Fernando O. Viana, Gabriel Pereira, Marcelo Akeo Takiy, Marcus Borgonove, Marjorie Yuri Enya, Paulo G. Bastos, Rafael Farinaccio eThiago A.R. Oliveir 

 

Introdução ao universo do uso de entorpecentes, associado atualmente à cultura jovem, tentaremos traçar esse paralelo através de mídias que permitam uma análise sob a luz do tema: Rebeldia e Juventude.

 

As drogas sempre estiveram associadas a movimentos jovens de contestação e, de maneira geral, dentro das manifestações de contracultura do século XX. Do movimento hippie até os movimentos antiglobalização atuais, as substâncias ilícitas tiveram um papel de contestação. Neste contexto, o caráter material da droga adquire um caráter fetichista dentro do sistema capitalista e o objetivo (primário, ao menos) acaba não sendo a sensação por ela proporcionada e sim o que ela diz de você como membro de um grupo.

 

Em movimentos como o hippie, a droga passa a ser parte do conjunto de signos que compõe a realidade social do grupo ao qual você pertence. Em uma noção circular, o uso dela define você como ser dentro da sociedade, ao mesmo tempo em que a define como objeto de composição de uma esfera coletiva na qual o individuo está inserido.

Divulgar conteúdo