O desigual acesso da população negra à educação: uma realidade a ser entendida e superada

UNIVERSIDADE DE SAO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS
DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA
2° Semestre de 2014
Giulia Bortoliero Coli Badini, n" USP: 8576668
SEQUÊNCIA DIDÁTICA:  "O desigual acesso da população negra à educação: uma realidade a ser entendida e superada."
SAOPAULO 2015

 

Essa sequência didática é proposta para alunos do Ensino Fundamental, considerando que deva ser desenvolvida num conjunto de quatro aulas com, aproximadamente, 50 minutos de duração.
o objetivo dessa sequência é discutir com os alunos o acesso da população negra brasileira à educação e como foi construída ao longo da história brasileira uma desigual participação desta. Pretende-se fazer uma abordagem histórica, analisando as condições desses indivíduos desde o período colonial, e como houve a perpetuação da marginalização da população negra.
Ao final desse conjunto de aulas, almeja-se que os alunos desenvolvam criticamente propostas para a inclusão social dos negros na educação.

AULA 1: O objetivo dessa aula é munir os alunos de informações referentes a população negra e branca no passado brasileiro, no que se refere ao direito à educação.

MATERIAL 1:

Propõe-se a observação de uma pintura do artista francês Jean-Baptiste Debret, informando a data em que foi pintada, 1830.

Fonte: < http://abstracaocoletiva.com.br/2013/03/27 /jean-baptiste-debret-obras/ > Acessado em: 07 de janeiro de 2015

Pretende-se analisar as condições das pessoas brancas e negras através de um questionamento que o professor deve fazer para a sala: "Qual é o possível espaço ocupado por essas pessoas? Como as pessoas brancas estão representadas? O que elas estão vestindo? O que estão fazendo? Que plano da imagem é ocupado por elas? E as pessoas negras, quais atividades estão realizando? Que plano da imagem é ocupado por elas?"

 

MATERIAL 2:

O professor propõe a leitura oral com a classe do poema "Essa negra fulo" de Jorge de Lima:

Essa negra fulô

Ora, se deu que chegou (isso já faz muito tempo) no bangüê dum meu avô uma negra bonitinha, chamada negra Fulô.

Essa negra Fulô!

Essa negra Fulô!

Ó Fulô! Ó Fulô! (Era a fala da Sinhá)
- Vai forrar a minha cama pentear os meus cabelos, vem ajudar a tirar
a minha roupa, Fulô!

Essa negra Fulô!

Essa negrinha Fulô! ficou logo pra mucama pra vigiar a Sinhá,
pra engomar pro Sinhô!

Essa negra Fulô!

Essa negra Fulô!

Ó Fulô! Ó Fulô!
(Era a fala da Sinhá)
vem me ajudar, ó Fulô,
vem abanar o meu corpo
que eu estou suada, Fulô! vem coçar minha coceira, vem me catar cafuné,
vem balançar minha rede, vem me contar uma história, que eu estou com sono, Fulô!

Essa negra Fulô!

"Era um dia uma princesa que vivia num castelo
que possuía um vestido com os peixinhos do mar. Entrou na perna dum pato saiu na perna dum pinto
o Rei-Sinhô me mandou que vos contasse mais cinco".

Essa negra Fulô!

Essa negra Fulô!

Ó Fulô! Ó Fulô!
Vai botar para dormir
esses meninos, Fulô!
"minha mãe me penteou minha madrasta me enterrou pelos figos da figueira
que o Sabiá beliscou".

Essa negra Fulô!

Essa negra Fulô!

Ó Fulô! Ó Fulô!
(Era a fala da Sinhá Chamando a negra Fulôl) Cadê meu frasco de cheiro Que teu Sinhô me mandou? - Ah! Foi você que roubou! Ah! Foi você que roubou

 

Essa negra Fulô!
Essa negra Fulô!

O Sinhô foi ver a negra
levar couro do feitor. A negra tirou a roupa, O Sinhô disse: Fulô! (A vista se escureceu que nem a negra Fulô).

Essa negra Fulô!

Essa negra Fulô!

 

Ó Fulô! Ó Fulô!
Cadê meu lenço de rendas, Cadê meu cinto, meu broche,
Cadê o meu terço de ouro que teu Sinhô me mandou? Ah! foi você que roubou! Ah! foi você que roubou!

Essa negra Fulô!

Essa negra Fulô!

O Sinhô foi açoitar sozinho a negra Fulô. A negra tirou a saia
e tirou o cabeção,
de dentro dêle pulou nuinha a negra Fulô.

Essa negra Fulô!

Essa negra Fulô!

Ó Fulô! Ó Fulô! Cadê, cadê teu Sinhô que Nosso Senhor me mandou?
Ah! Foi você que roubou, foi você, negra fulô?

Essa negra Fulô!

Fonte: LIMA, Jorge de. "Poesia completa". 2. Ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

 

 

Após a leitura do poema, o professor volta a questionar os alunos a respeito das condições da população negra e branca, pedindo que eles identifiquem as semelhanças entre os dois textos. Busca assim enfatizar que o direito a educação cabia somente ao segundo grupo.

AULA 2: O objetivo dessa aula é enfatizar a condição atual da população negra no acesso à educação formal.

MATERIAL 1:

Educação ainda é desigual para negros e brancos Camilla Costa I 2010-09-17, 16: 10
Negros e brancos ainda não têm o mesmo acesso à educação no Brasil, segundo a Síntese de Indicadores Sociais de 2010 (SIS), divulgada nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A pesquisa mostra que as pessoas que se classificam como pretas e pardas entre as opções oferecidas pelo IBGE (as outras opções são "brancos", "amarelos" e "indígenas") já são mais da metade da população (51,1 %).

Mesmo assim, a proporção de estudantes negros e pardos entre 18 e 24 anos que cursam ensino superior continua sendo bem menor que a de brancos na mesma faixa etária.
Em 2009, 62,6% dos estudantes brancos entre 18 e 24 anos estavam na universidade, contra 28,2% dos negros e 31,8% dos pardos.
A diferença também é grande entre as pessoas de 25 anos ou mais com ensino superior concluído.
Em 2009, 4,7% dos pretos e 5,3% dos pardos nesta faixa etária tinha diploma de ensino superior, contra 15% dos brancos.
A desigualdade se reflete também nos níveis mais básicos de educação. A proporção de analfabetos nas populações negras e pardas é de, respectivamente, de 13,3% e 13,4%, enquanto a proporção de brancos analfabetos é de 5,9%.

Fonte: < http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/09/l00917 educacao ibge cc> Acessado em: 07 de janeiro de 2015

 

Cabe ao professor, após a leitura com a classe, questionar os alunos: "É uma notícia atual?

Qual é o tema por ela abordado?

Como é possível interpretar os dados mostrados na notícia?

Qual é a realidade da população negra?

Com relação ao observado na aula anterior, houve alguma mudança com no acesso dessa população à educação?

Logo após, o professor deve sugerir uma atividade.

Os alunos devem em grupos pequenos debater a seguinte questão: "A condição histórica do negro como escravo interferiu de alguma maneira na desigualdade, observada na pesquisa, ao acesso à educação?

Como isso ocorreu?"

 

Ao final da aula, devem expor suas conclusões para a sala.

 

AULA 3: O objetivo desta aula é debater com os alunos a estratégia que pretende amenizar a ainda acentuada desigualdade do acesso ao ensino superior entre alunos "brancos" e "negros": o sistema de cotas. Com o debate pretende-se que o aluno, já munido de informações sobre a pouca presença da população negra no sistema educacional, desenvolva um olhar crítico, tomando-o capaz de pensar em maneiras de alterar esse quadro.

O professor, antes de iniciar a apresentação dos materiais, faz uma breve exposição sobre o sistema de cotas.

MATERIAL 1:

Fonte: < http://noticias.r7.com/educacao/noticias/alunos-de-escolas-particulares- protestam-contra-cotas-20120822.htrnl> Acessado em: 08 de janeiro de 2015

 

O professor deverá propor que os alunos analisem criticamente a imagem, através de perguntas como: "O que vocês veem nessa imagem?

Quem são as pessoas nela existentes?

Como vocês poderiam caracterizar essas pessoas?

Qual a expressão facial desses indivíduos?

O que elas seguram nas mãos e qual seria a finalidade desses objetos?

Em que local essa imagem pode ter sido divulgada?

Esses indivíduos são a favor ou contra as cotas raciais?"

MATERIAL 2:

 

o professor, mais uma vez, deve induzir a uma análise crítica da imagem, possíveis perguntas a serem feitas: "O que vocês estão vendo na imagem?

Quais são os elementos existentes nela?

Existe algum recurso não escrito?

Como pode-se descrever esse recurso não escrito?

O que dizem os textos?

 

- pedir para que os alunos leiam em voz alta os textos presentes no anúncio -

Que tipo de material é esse?

Qual seria a finalidade dele?

Em quais locais poderia ter sido divulgado?

É um material contra ou a favor das cotas raciais?"

MATERIAL 3:

 

Fonte: < http://www.cidade.blogger.com.br/2007 06 03 archive.html > Acessado em: 09 de janeiro de 2015.

 

o professor deve informar os alunos sobre o fato que motivou a capa da revista.

Concluída essa análise, o professor poderia iniciar um debate acerca da implantação ou não das cotas raciais, pedindo que os alunos apontassem as vantagens e desvantagens que esse sistema oferece.
Para finalizar a aula, o professor deve propor que os alunos elaborem em casa para a próxima aula propostas para realizar a inclusão da população negra, permitindo a ela um crescente acesso à educação. Essa atividade deverá ser entregue para o professor, porém também será utilizada para a realização de um exercício em grupo.

 

AULA 4: Sendo essa a última aula do programa, o objetivo é fazer uma balanço da problemática abordada: a realidade do desigual acesso à educação pela população negra, e com os alunos discutir possíveis soluções ou maneiras de amenizar esse quadro, sendo este o último foco desse conjunto de aulas.

Dessa maneira, o professor deve propor que os alunos se reúnam em pequenos grupos, nos quais terão a tarefa de apresentar a lição de casa (propostas para permitir o maior acesso da população negra à educação) para seus colegas e juntos deverão agrupar as ideias que consideram mais viáveis e por fim deverão apresentar para o resto da classe.