Fotografia e Música retratando São Paulo

Universidade de São Paulo

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Departamento de História

Uma História da cidade de São Paulo

Prof. Antônia Terra

2º Semestre de 2013

Sequência didática

Fotografia e Música retratando São Paulo”

José Luiz Ferreira Neto

Nº USP: 8577012

 

 

Tema: Fotografia e Música retratando São Paulo.

 

Justificativa: A fotografia ajudou de forma fundamental o trabalho do historiador. Ela surge como uma revolução. Poder guardar a imagem de uma época é uma janela incrível que se abriu no século XIX. Mais do que isso, ela é uma fonte de expressão, assim como a música, já que há, em ambas, o autor, o porquê ele a está fazendo e o contexto inserido.

A cidade de São Paulo foi musa de vários artistas, que retrataram-na das mais variadas formas. Exerceremos, então, um trabalho de reflexão e comparação entre estas duas artes: Música e Fotografia.

Objetivo: Discutir e debater, com alunos do ensino fundamental e médio, as diversas formas que São Paulo foi retratada. Compará-las entre si e estabelecer as semelhanças e diferenças entre ambas. O objetivo principal é transmitir as visões dos artistas para os alunos pelo viés fotográfico e musical, distanciando-se parcialmente dos métodos mais ortodoxos e não tão eficazes de ensino. A aula certamente será rica em interpretações, dinâmica.

Dinâmica da aula: A turma será dividida em grupos, o que possibilitará uma maior reflexão e discussão dos temas. Recomendo o uso de um aparelho de som e se possível um Datashow, ou algum outro instrumento que possa mostrar as fotografias de forma clara para que todos os alunos possam ver. O curso será dividido em três sessões, também divididas, que poderão abranger a quantidade de aulas de acordo com as possibilidades.

 

1ª SESSÃO – Fotógrafos que retrataram São Paulo

 

Esta sessão será dividida em 3 blocos para que grande parte dos temas relacionados às fotografias sejam abordados. É necessário que as fotos sejam mostradas de maneira clara.

1º bloco – Foto 1

Militão de Azevedo - Rua do Rosário, 1862 (atual rua Quinze de Novembro).

Foto 2

Guilherme Gaensly – Avenida Tiradentes (estação da luz), 1900.

 

Foto 3

Desconhecido - Ponte Octávio Frias de Oliveira, 2013

 

 

Primeiramente problematize as três fotos com a turma:

  • Qual é o foco das fotos? Dá para definir uma possível utilidade para elas?

  • Qual é a ideia de cidade que o autor está querendo passar?

  • Existem semelhanças entre elas mesmo com a diferença de tempo e de tecnologias?

 

Coloque os grupos para discutir entre si e levantar argumentos para a sala de aula.

 

 

2º bloco

 

Foto 4

Vincenzo Pastore - Meninos engraxates jogando bola de gude, c. 1910, São Paulo – SP.

 

 

Foto 5

Alice Brill - Realejo na praça do Patriarca, São Paulo, c. 1953.

 

 

Foto 6

Renato Maruno – Cotidiano [5], Metrô Sp Linha Verde, 2011.

 

Propor mais uma discussão com a classe:

  • Qual é o foco das fotos? Dá para definir uma possível utilidade para elas?

  • Qual é a ideia de cidade que o autor está querendo passar?

  • Existem semelhanças entre elas mesmo com a diferença de tempo e de tecnologias?

 

3 º bloco

 

 

Comparar os dois primeiros blocos da 1ª sessão:

  • No que consiste a diferenças entre as fotos do primeiro bloco com as do segundo?

  • Quais são as possíveis propostas das fotos?

  • Quais são as fotos mais agradáveis? Quais retratam a realidade, o cotidiano?

 

2ª Sessão - São Paulo na música.

 

Esta sessão também será dividida em 3 blocos.

 

1ºbloco

 

 

Doc. 1

 

Isto é São Paulo

 

Mil, quinhentos e cinquenta e quatro,

Quando de um colégio, deu-se a fundação,

Nasceu a capital de um estado,

Desta nação.

Que seria líder das demais,

Hoje a cidade que mais cresce neste mundo,

É cidade dos arranha-céus,

Maior centro cultural,

E industrial,

No trabalho, vem e vai,

Isto é São Paulo,

Meu Brasil,

Isto é São Paulo,

Meu Brasil.

 

O trabalho sempre foi seu lema,

Seu ordeiro povo ser trabalhador,

Mostrou em tantas obras sua força, o seu valor,

Obras que só fazem orgulhar,

Túnel Nove de Julho,

Elevado Costa e Silva,

Ibirapuera, Parque Anhembi,

Corrida São Silvestre,

Estádio Morumbi,

E as estradas, pra rodar,

Isto é São Paulo, meu Brasil.

 

O seu samba hoje consciente,

Tem entrada franca, no Municipal,

E da aquele recital,

Para quem quiser apreciar,

Suas noites hoje, se aquecem com pandeiro,

Tumba, cavaquinho e violão,

Depois o Carnaval, no Anhangabaú,

É samba em festa a desfilar.

Isto é São Paulo, meu Brasil...

 

 

 

Compositor: Kazinho. Lançada em 1954 pelo grupo ‘Demônios da Garoa”.

 

 

Doc. 2

 

Lampião de Gás

 

Lampião de gás, lampião de gás

Quanta saudade você me traz

 

Da sua luzinha verde azulada

Que iluminava minha janela,

Do almofadinha lá na calçada,

Palheta branca, calça apertada

 

Do bilboquê, do diabolô,

"Me dá foguinho", "vai no vizinho"

De pular corda, brincar de roda,

De Benjamim, Jagunço e Chiquinho

 

Lampião de gás, lampião de gás

Quanta saudade você me traz

 

Do bonde aberto, do carvoeiro

Do vassoureiro com seu pregão

Da vovozinha, muito branquinha,

Fazendo roscas, sequilhos e pão

 

Da garoinha fria, fininha,

Escorregando pela vidraça,

Do sabugueiro grande e cheiroso,

Lá do quintal da rua da Graça

 

Lampião de gás, lampião de gás

Quanta saudade você me traz

 

Da minha São Paulo, calma e serena,

Que era pequena, mas grande demais!

Agora cresceu, mas tudo morreu...

Lampião de gás que saudade me traz

 

Compositor: Zeca Bergami

Lançada em 1958 por Inezita Barroso.

 

 

Doc. 3

 

Luz da Light

 

Lá no morro quando a luz da light pífa

A gente apela pra vela, que alumeia também (quando

tem)

Se não tem não faz mal

A gente samba no escuro

Que é muito mais legal (e é natural)

 

Quando isso acontece

Há um grito de alegria

A torcida é grande pra luz voltar

Só no outro dia

Mas o dono da casa

Estranhando a demora e achando impossível

Desconfia logo que alguém passou a mão no fuzíl

No relógio da luz

 

Compositor: Adoniran Barbosa

 

 

Primeiramente, coloque as músicas para tocar mais de uma vez, se for possível. Pergunte se as músicas já são conhecidas dos alunos.

 

Proposta: problematizar não somente as letras, como a melodia das músicas mencionadas.

 

  • Quando foram feitas?

  • O gênero dialogava mais com qual classe social?

  • Apontar as diferenças entre elas.

  • Apontar as semelhanças entre elas.

  • Lembraram de alguma das seis fotos vistas na 1ª sessão ao ouvir estas músicas?

 

2º Bloco

 

Doc. 4

 

 

São, São Paulo

 

São, São Paulo quanta dor

São, São Paulo meu amor

 

São oito milhões de habitantes

De todo canto em ação

Que se agridem cortesmente

Morrendo a todo vapor

E amando com todo ódio

Se odeiam com todo amor

São oito milhões de habitantes

Aglomerada solidão

Por mil chaminés e carros

Caseados à prestação

Porém com todo defeito

Te carrego no meu peito

 

São, São Paulo quanta dor

São, São Paulo meu amor

 

Salvai-nos por caridade

Pecadoras invadiram

Todo centro da cidade

Armadas de rouge e batom

Dando vivas ao bom humor

Num atentado contra o pudor

A família protegida

Um palavrão reprimido

Um pregador que condena

Uma bomba por quinzena

Porém com todo defeito

Te carrego no meu peito

 

São, São Paulo quanta dor

São, São Paulo meu amor

 

Santo Antonio foi demitido

Dos Ministros de cupido

Armados da eletrônica

Casam pela TV

Crescem flores de concreto

Céu aberto ninguém vê

Em Brasília é veraneio

No Rio é banho de mar

O país todo de férias

Aqui é só trabalhar

Porém com todo defeito

Te carrego no meu peito

 

São, São Paulo quanta dor

São, São Paulo meu amor

 

São, São Paulo quanta dor

São, São Paulo meu amor

 

São, São Paulo meu amor

 

 

Compositor: Tom Zé

Lançada em 1968.

 

Doc. 5

 

Sampa

 

Alguma coisa acontece no meu coração

Que só quando cruza a Ipiranga e Avenida São João

É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi

Da dura poesia concreta de tuas esquinas

Da deselegância discreta de tuas meninas

Ainda não havia para mim Rita Lee

A tua mais completa tradução

Alguma coisa acontece no meu coração

Que só quando cruza a Ipiranga e avenida São João

 

Quando eu te encarei frente a frente e não vi o meu rosto

Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto, mau gosto

É que Narciso acha feio o que não é espelho

E à mente apavora o que ainda não é mesmo velho

Nada do que não era antes quando não somos mutantes

E foste um difícil começo

Afasto o que não conheço

E quem vem de outro sonho feliz de cidade

Aprende depressa a chamar-te de realidade

Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso

 

Do povo oprimido nas filas, nas vilas, favelas

Da força da grana que ergue e destroi coisas belas

Da feia fumaça que sobe, apagando as estrelas

Eu vejo surgir teus poetas de campos, espaços

Tuas oficinas de florestas, teus deuses da chuva

Pan-Américas de Áfricas utópicas, túmulo do samba

Mas possível novo quilombo de Zumbi

E os Novos Baianos passeiam na tua garoa

E novos baianos te podem curtir numa boa

 

Compositor: Caetano Veloso

Lançada em 1978.

 

 

Doc. 6

Não existe amor em SP

 

Não existe amor em SP

Um labirinto místico

Onde os grafites gritam

Não dá pra descrever

Numa linda frase

De um postal tão doce

Cuidado com doce

São Paulo é um buquê

Buquês são flores mortas

Num lindo arranjo

Arranjo lindo feito pra você

 

Não existe amor em SP

Os bares estão cheios de almas tão vazias

A ganância vibra, a vaidade excita

Devolva minha vida e morra afogada em seu próprio mar de fel

Aqui ninguém vai pro céu

 

Não precisa morrer pra ver Deus

Não precisa sofrer pra saber o que é melhor pra você

Encontro duas nuvens em cada escombro, em cada esquina

Me dê um gole de vida

Não precisa morrer pra ver Deus

 

 

Compositor: Criolo

Lançada em 2011.

 

Proposta: problematizar estas canções assim como as canções do bloco 1 o foram.

  • Quando foram feitas?

  • O gênero dialogava mais com qual classe social?

  • Apontar as diferenças entre elas.

  • Apontar as semelhanças entre elas.

  • Lembraram de alguma das seis fotos vistas na 1ª sessão ao ouvir estas músicas?

 

3º bloco

 

O terceiro bloco será destinado à comparações dos dois primeiros blocos desta sessão. As semelhanças e diferenças deverão ser apontadas, assim como a forma de abordagem da cidade de São Paulo em cada canção escutada.

 

3ª Sessão

 

O objetivo da terceira sessão é criar paralelos entre as fotos da primeira sessão e as canções apresentadas na segunda sessão. Deixe os alunos (em grupos) analisarem os documentos mais uma vez e debaterem entre si.

  • Apontar as semelhanças entre fotos e canções.

  • Por que há essas semelhanças?

  • Analisar (mais uma vez) o ponto de vista do autor e o contexto que ele estava inserido.

Deixe cada grupo analisar uma foto e uma canção para que no final da aula eles expressem para o resto da turma as suas ideias à cerca do ponto de vista de cada autor sobre São Paulo.

 

 

Bibliografia:

 

http://www.ims.uol.com.br

http://www.diversaoarteselazeremgeral.com/?page_id=68

http://www.flickr.com/photos/renatomaruno/5434617087/

http://www.letras.mus.br

 

AnexoTamanho
Fotografia e Música retratando São Paulo.pdf1.15 MB