NAZISMO E PRECONCEITO

 

• Aluno (a): Vivian Luise Kroper N° USP: 5738325

São Paulo, 10 de dezembro de 2009
• Disciplina USP: Ensino de História: Teoria e Prática
• Docente responsável: Antonia Terra de Calazans Fernandes
 

 

Nazismo e Preconceito

Série:

ano do Ensino Médio.

 

Quantidade de aulas:

Seis aulas.

 

Introdução:

Tratar com os alunos sobre nazismo permite historicizar as idéias que fundamentaram esse movimento político e perceber o alcance temporal e espacial do que esse regime idealizava. O estudo desse tema permite analisar aspectos fundamentais da história do mundo durante o século XX, incluindo as justificativas ideológicas e as estratégias usadas para se criar a denominada "raça pura".

 

Também é possível efetuar a análise das relações entre história e cinema, pois são inúmeros os filmes que tratam do nazismo, além de trabalhar com imagens, já que a propaganda nazista se utilizou fortemente delas para introduzir a sua ideologia.

Objetivos:

 

1) Análise do contexto histórico mundial em que são formados os regimes autoritários durante o século XX.

 

2) Reconhecimento dos ideais nazistas e das idéias de superioridade e inferioridade que fundamentavam sua prática.

 

3) Análise de imagens históricas: como os judeus eram retratados em jornais e livros anti-semitas da época e propagandas nazistas que mostravam a raça ariana.

 

4) Análise de filmes como fonte para a construção do conhecimento histórico.

 

5) Reconhecer a existência do preconceito e a importância de um museu para a contemporaneidade.

 

Estratégias:

1° aula:

 

Apresentar em classe algumas das imagens que eram veiculadas pela propaganda nazista. Não explicar do que se trata e perguntar aos alunos o que vêem. Registrar tudo que disserem na lousa.

 

Ao analisar as imagens com os alunos auxiliá-los fazendo-lhes algumas perguntas a respeito das imagens

 

Depois de terminadas as suposições dos alunos, mostrar novamente todas as imagens e explicar quando foram divulgadas e quais as intenções daqueles que as veiculavam. Ao explicar as imagens intercalar com explicações sobre o nazismo e seu alcance temporal e geográfico.

 

Ao começar as explicações das imagens, quando mostrá-las pela segunda fez, explicar antes a importância da propaganda para o regime nazista. O que Hitler pensava a respeito da propaganda? O que ele queria mostrar ao povo?

Figura 1

vivian

 

 

Perguntas:

 

1)      Quem é este homem?

 

2)      O que ele está vestindo?

 

3)      O que ele está fazendo?

 

4)      Que bandeira ele está carregando? Que símbolo é este na bandeira?

 

5)      O que há abaixo do olho dele?

 

Explicações:

Imagem: Hubert Lanziger, Hitler como porta-bandeira, 1930, óleo sobre tela.

 

O traje e a postura transmitem poder. Hitler está representado como um cavaleiro numa armadura, para sugerir seu engajamento numa espécie de cruzada (explicar aos alunos que cruzada seria essa). A lágrima estaria representando a alma, o sentimento, uma qualidade que somente o povo ariano possui. Eles são determinados, fortes, lutadores e heróicos, mas possuem sentimento.

Figura 2

vivian2

 

 

Perguntas:

 

1)      O que está acontecendo nessa imagem?

 

2)      Como Hitler é representado?

 

3)      O que significa a luz?

 

Explicações:

Imagem: K. Stauber, Es lebe Deutschland! (A Alemanha Vive!), 1930, pôster.

 

O povo alemão caminha junto com Hitler em direção a luz. Essa luz vem das antigas gerações de alemães, do povo, do camponês alemão que morreu lutando pela nação (pode ser na Primeira Guerra Mundial ou na Segunda). Mas, principalmente, essa luz vem do único homem que pode levar a Alemanha a um grande futuro, com educação, cultura e sem corrupção. Esse Homem é Hitler.

Figura 3

vivian3

 

Perguntas:

 

1)      Quem seriam esses dois homens?

 

2)      Quais são os traços físicos deles?

 

3)      O que eles estão segurando?

 

Explicações:

Imagem: Pôster de propaganda nazista, década de 1930.

Tradução: “Contra a corrupção eleja o Nacional-Socialismo, o movimento do Hitler!”

 

Os dois homens são nazistas e representam a raça ariana. Eles estão sendo retratados como guardiões do povo e representados por um trabalhador industrial e um trabalhador agrícola.

 

A partir dessa imagem discutir com os alunos a importância do trabalho para o regime nazista.

Figura 4

vivian4

 

 

Perguntas:

 

1)      Quem seria o homem em destaque na imagem?

 

2)      Que objeto ele está segurando?

 

3)      O que ele está fazendo com esse objeto?

 

4)      Quem são as pessoas no canto direito da imagem?

 

5)      O que elas estão segurando?

 

Explicações:

 

Imagem: Pôster de propaganda nazista, década de 1930

 

Tradução: Nós camponeses estamos limpando as coisas. Nós votamos no número 2: Nacional-Socialismo.

 

Essa imagem mostra um camponês (um personagem do povo alemão) com uma forquilha na mão tentando limpar a corrupção do governo. As outras pessoas representadas são políticos com dinheiro nas mãos.

Figura 5

vivian5

 

Perguntas:

 

1)      Quem são as pessoas representadas?

 

2)      O que há atrás delas?

 

Explicações:

Imagem: Pôster de propaganda nazista, década de 1930.

 

Tradução: A NSDAP protege o povo de sua comunidade. Cidadãos, se vocês precisarem de conselho e ajuda, procure a Organização de sua localidade.

 

A NSDAP era uma organização que protegia e ajudava as famílias alemãs. Esse pôster mostra uma típica família camponesa alemã/ ariana sendo protegida pela ave-símbolo do nazismo.

 

2° aula:

 

Continuar a aula expositiva sobre o nazismo, mas agora falando sobre o Holocausto (extermínio de milhões de pessoas que faziam parte de grupos politicamente indesejados pelo regime nazista).

 

É importante que aos alunos saibam como a arte foi usada a serviço do regime nazista (mais de noventa filmes, por exemplo, foram organizados pelo Ministério da Propaganda de Hitler), com o objetivo de exaltar a figura do führer, a militância e o anti-semitismo.

 

Passar algumas partes do filme “Eterno Judeu”, de 1940, que denegria a imagem de judeus e comunistas. Mostrar aos alunos as cenas de um gueto judaico na Polônia e outra parte do filme que mostra imagens de clipes internacionais extraídos de cinejornais e outras que procuram mostrar os judeus como trapaceiros e parasitas para que os alemães acreditassem que os judeus eram responsáveis pelas desgraças do mundo, inclusive da Alemanha, e que esta ameaça precisava ser eliminada.

 

Perguntar aos alunos o que eles acharam das cenas mostradas, o que sentiram, o que entenderam, se há alguma dúvida e o que mais lhes chamaram a atenção.

 

Continuar a aula expositiva intercalando as explicações com as cenas vistas no filme.

 

Temas a serem abordados: o Holocausto, os campos de concentração, o preconceito contra judeus, eslavos, ciganos, homossexuais, doentes mentais e deficientes, testemunhas de Jeová e comunistas.

 

3° aula:

 

Para relacionar esse tema com a atualidade, exibir para os alunos duas cenas do filme "Escritores da liberdade". A primeira deve ser aquela em que uma caricatura preconceituosa é vista pelos alunos que ridicularizam um dos colegas. Deixar que vejam o que a professora diz quando descobre a caricatura. A segunda cena deve ser aquela em que os alunos vão ao museu onde são vistas as atrocidades cometidas durante o regime nazista. A seguir, problematizar as cenas assistidas e iniciar uma discussão a respeito da importância de se ter um museu que guarde a memória desses crimes.

 

Mostrar aos alunos algumas imagens do The United States Holocaust Memorial Museum, (Washingtom, EUA). O ideal seria navegar no site do museu com os alunos (no link Online Exhibitions) [1]. Mas se isso não for possível pode-se também selecionar antes da aula algumas fotografias no site e, então mostrá-las aos alunos. Aqui o exercício não seria de análise das imagens, mas apenas mostrar a “memória” do Holocausto guardada no museu.

 

Infelizmente não daria para mostrar os depoimentos de judeus que vivenciaram o holocausto, pois está tudo em inglês. Mas há muitas fotos que poderíamos mostrar.

 

Nas próximas páginas alguns exemplos de fotografias que poderiam ser mostradas.


[1] Site: http://www.ushmm.org/museum/exhibit/online/

 

 

Invasão dos nazistas no Gueto de Varsóvia

vivian6

Soldados alemães queimando as residências judaicas no Gueto. Varsóvia, Polônia, 1943.

vivian7

Judeus sendo capturados pelos soldados alemães no gueto. Varsóvia, Polônia, 1943

 

Anti-semitismo

vivian8

Mulher sentada num banco onde está escrito “somente para judeus”. Áustria, 1938.

 

vivian9

Fotografia tirada durante um boicote aos judeus. Nas placas está escrito: “Alemães! Se defendam! Não comprem de judeus.”. Berlim, Alemanha, 1933.

 

 

Campo de Extermínio de Auschwitz

vivian10

Crianças sobreviventes sendo liberadas de Auschwitz. Polônia, 1945.

 

 

vivian11

Prisioneiros húngaros judeus chegando a Auschwitz. Polônia, 1944.

 

4° aula:

 

Relembrar com os alunos a cena do filme Escritores da Liberdade em que a professora fala sobre a caricatura preconceituosa.

 

Mostrar como os judeus eram retratados pela propaganda nazista. Analisar as imagens com os alunos, fazer perguntas a eles e em seguida explicar a imagem.

 

Figura 1

vivian12

 

Perguntas:

 

1)      O que vocês estão vendo?

 

2)      Quem são essas duas pessoas?

 

Explicações:

Imagem: Pôster de propaganda nazista de 1920.

 

A mulher provavelmente é da raça ariana, representada aqui lembrando as esculturas clássicas gregas. Já o homem atrás dela é um judeu estereotipado, com nariz enorme, parecendo um monstro.

 

 

Figura 2

vivian13

 

Perguntas:

 

1)      Quem é esse homem?

 

2)      Que símbolo é esse em seu casaco?

 

3)      Quem está apontando para ele?

 

Explicações:

Imagem: Propaganda publicitária nazista.

Tradução: “Ele é culpado na guerra”.

 

O Cartaz retrata judeus envolvidos em uma fictícia conspiração para provocar a guerra. O símbolo no casaco do judeu é a Estrela de Davi. Era uma Identificação imposta pelos administradores alemães aos judeus para poder identificá-los mais rapidamente quando estavam fora do campo de concentração. Às vezes os prisioneiros trabalhavam em centros industriais fora do campo de concentração.

 

Cada cor representava um tipo de prisioneiro: o amarelo representava os judeus, o vermelho eram os comunistas, o roxo eram os ciganos, o marrom eram as testemunhas de Jeová, o rosa eram os homossexuais e o verde eram os criminosos comuns. Criminosos de ascendência ariana recebiam freqüentemente privilégios especiais nos campos e poder sobre outros prisioneiros.

Figura 3

vivian14

 

 

Perguntas:

 

1) Quem é esse homem?

 

2) De que países são essas bandeiras?

 

Explicações:

Imagem: Pôster publicitário nazista.

Tradução: “Atrás dos

 

Aqui, um judeu estereotipado conspira nos bastidores para controlar as potências aliadas, representadas pelos britânicos, americanos e soviéticos.

Figura 4

vivian15

 

Perguntas:

 

1)      Que objeto é esse?

 

2)      Que figuras estão representadas?

 

3)      É possível relacionar essas duas fuguras?

 

Explicações:

Imagem: capa do livro infantil “Um anti- semita”, da década de 1930.

Tradução: "Não confie em uma raposa no pasto verde e nem no juramento de um judeu".

 

 

Figura 5

vivian16

 

Perguntas:

 

1)      Quem é o homem do lado esquerdo?

 

2)      Quem é o homem do lado direito?

 

3)      Como ambos estão sendo representados?

 

Explicações:

 

Esta imagem está dentro do livro infantil “Um anti-semita”

 

Do lado esquerdo temos a representação de um ariano, alto, forte e trabalhador da terra.

 

Do lado direito temos um judeu, gordo e fumando cigarro (pecado da gula e o vício). Suas roupas são mais chiques que as do homem do lado esquerdo, provavelmente querendo mostra que grande parte do dinheiro estava nas mãos dos judeus (pecado da avareza).

 

 

Figura 6

vivian17

 

Perguntas:

 

1)      Que ambiente é esse?

 

2)      Há diferença entre as crianças? Que diferenças?

 

3)      O que essas crianças estão fazendo?

 

Explicações:

 

Esta imagem está dentro do livro infantil “Um anti-semita”.

 

Aqui crianças judias passam na frente de uma escola para crianças arianas. As crianças judias são muito mais feias, com nariz enorme e todas fazem caretas. Um menino judeu puxa as trancinhas de uma alemã. Essa figura quer mostrar às crianças arianas que os judeus não gostam dos alemães, porque eles são muito mais bonitos e mais corajosos.

 

 

Figura 7

vivian18

 

Perguntas

 

1)      Que ambiente é este?

 

2)      É uma escola para judeus ou alemães? Por quê?

 

3)      Sobre o que o menino está falando para os outros alunos e para o professor?

Repare nos desenhos da lousa.

 

Explicação:

Está figura também é de um livro infantil nazista.

Mas não foi possível descobrir qual livro é esse. Aqui o aluno está explicando aos seus colegas de classe, todos alemães arianos, o formato do nariz dos judeus: “O nariz judaico é dobrado em seu pico. Ele se parece com um seis”. Nas escolas alemãs o seis é a pior nota, equivale ao zero aqui no Brasil, e o um seria a nota máxima, o dez para a gente.

 

 

Figura 8 vivian19

 

Perguntas:

 

1)      Que objeto é esse?

 

2)      Quem é esse homem?

 

3)      Que objetos ele está segurando?

 

Explicações:

Imagem: capa do jornal “O Atacante”, um jornal anti-semita que circulava na Alemanha.

Essa edição é de Nuremberg, do mês de janeiro de 1936.

 

Tradição: “O Atacante: o jornal semanal que luta pela verdade”.

“Os judeus são nossa desgraça”. A imagem mostra um judeu estereotipado. Em uma mão ele segura a Torá e na outra a cruz cristã envolta por uma cobra (a cobra representa o pecado).

 

5° aula:

 

Apresentação de duas cenas do filme “O Grande Ditador” de Charles Chaplin. Antes fazer uma pequena introdução dizendo aos alunos que o filme foi produzido em 1940, ou seja, durante a Segunda Guerra e no momento em que o nazismo estava em pleno domínio. Falar que Chaplin antecipou o fenômeno Hitler na Alemanha através desse filme, uma sátira ao nazi-fascismo e um surpreendente clamor pela paz.

 

As duas cenas escolhidas para análise e discussão com os alunos seriam: O discurso inicial, que ilustra a insanidade do "Ditador", e toda a descarga de preconceito e totalitarismo que o alimenta, e a cena final do filme, em que o barbeiro judeu é obrigado a falar e faz um discurso a favor da paz e da justiça.

 

Ao discutir as cenas do filme com os alunos perguntar como o que foi mostrado por Chaplin se relaciona com o Nazismo e pedir que eles aproximem essas idéias com o que foi estudado nas cinco aulas anteriores. Por fim, tentar fazer com que os alunos percebam como o discurso do judeu, a favor da paz e da justiça, ainda serve para os dias de hoje.

 

6° aula:

 

Avaliação:

 

Dividir os alunos em grupo e distribuir uma cartolina para cada grupo.

 

Pedir aos alunos que elaborem uma espécie de pôster, assim como as propagandas nazistas mostradas na aula. Esse pôster tem que ter uma frase (ou um pequeno texto) e um desenho, elaborados por eles, representando o que o grupo concluiu acerca das aulas sobre o Nazismo. Usar a criatividade.

 

BIBLIOGRAFIA

 

 

  • BURKE, Peter. Testemunha ocular: História e Imagem. Bauru: EDUSC, 2004.
  • CARNEIRO, Maria Luiza Tucci. Holocausto: crime contra a humanidade. São Paulo: Ática, 2007.
  • CLENDINNEN, Inga. Um olhar Sobre o Holocausto. Lisboa: Prefácio, 2000.
  • CYTRYNOWICZ, Roney. Memória da Barbárie. São Paulo: EDUSP/Nova Stella, 1990.
  • DIEHL, Paula. Propaganda e persuasão na Alemanha nazista. São Paulo: Annableme, 1996.
  • HITLER, Adolf. Minha Luta. São Paulo: Editora Moraes, 1983.
  • MARGAIRAZ, Dominique. A utilização de documentos na aprendizagem de História e Geografia. Tradução e adaptação por Circe Bittencourt. Paris: INRP, 1989.
  • NAPOLITANO, Marcos. Como usar o cinema na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2006.
  • PEREIRA, Wagner Pinheiro. O triunfo do Reich de Mil Anos: cinema e propaganda na Alemanha nazista (1933 – 1945). In CAPELATO, Maria Helena; MORETTIN, Eduardo; NAPOLITANO, Marcos & SALIBA, Elias Thomé (Org.). História e Cinema. São Paulo: Alameda, 2007, p. 255 – 269.
  • ZABALA, Antoni. As seqüências didáticas e as seqüências de conteúdo. In: A Prática Educatica: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998, p. 53 – 87.

·         Site: Unitated States Holocaust Memorial Museum: Online Exhibitions, http://www.ushmm.org/museum/exhibit/online/

 

Filmes:

  • Escritores da Liberdade (Freedom Writers). Richard LaGravenese. 2007.
  • O Eterno Judeu (Der Ewige Jude). Fritz Hippler. 1940.
  • O Grande Ditador (The Great Dictator). Charlie Chaplin, 1940.

Imagens:

1° aula:

 

Figura 1: http://nseuropa.org/English/Art/introart.htm

Figura 2: http://nseuropa.org/English/Art/introart.htm

Figura 3: http://innsoma.blogspot.com/2009/03/praga-da-propaganda-nazista.html

Figura 4: http://nseuropa.org/English/Art/introart.htm

Figura 5: http://nseuropa.org/English/Art/introart.htm

 

4° aula:

Figura 1: http://www1.yadvashem.org/education/german/antisemitism.htm

Figura 2: http://museujudaicorj.blogspot.com/2009/03/o-poder-da-propaganda-nazista.html

Figura 3: http://museujudaicorj.blogspot.com/2009/03/o-poder-da-propaganda-nazista.html

Figura 4: http://www1.yadvashem.org/Odot/prog/image_into.asp?id=4758&lang=EN&type_id=7&addr=/IMAGE_TYPE/4758.JPG

Figura 5: http://nseuropa.org/English/Art/introart.htm

Figura 6: http://nseuropa.org/English/Art/introart.htm

Figura 7: http://www1.yadvashem.org/education/german/antisemitism.htm

Figura 8: http://www.dhm.de/lemo/html/nazi/antisemitismus/stuermer/index.html

 

Obs.: Todos os sites foram vistos pela última vez no dia 9 de dezembro de 2009.

AnexoTamanho
Sequência Didática - Nazismo e Preconceito.doc13.11 MB