Sites Para o Ensino de História


SITES PARA O ENSINO DE HISTÓRIA
PESQUISA


ALUNO: Graduando: Bruno Fernandes Mamede - Número Usp: 6838238
DISCIPLINA: Ensino de História: Teoria e Prática
Profa. Antonia Terra de Calazans Fernandes

 

 

Ao longo de dois meses de buscas e leituras na internet, encontrei 14 sites e blogs que reúnem uma quantidade imensa de informações trabalhadas das maneiras mais diversas, com vídeos, jogos, imagens, com estruturas diferentes, disposições diferentes e focos variados. A Internet tem um volume de material muito relevante para a complementação de estudos e pesquisas, apesar de ser também porta-voz de visões puramente ideológicas que se colocam com uma autoridade científica, além de sites que contém erros profundos e pontos de vista já superados pela historiografia. É claro que durante a pesquisa me deparei com muitos outros sites, de vários países, como um site de judeus poloneses, de universidades alemãs e britânicas, sites de museus franceses e norte-americanos extremamente curiosos, mas que não poderiam contribuir eficazmente para um projeto pedagógico, não seriam úteis em sua natureza para a finalidade do exercício, que é auxiliar professores na busca de sites e blogs com potencial e seguros para fazer suas pesquisas.


Muitos dos blogs que visitei são também páginas próprias, onde se pode criar um perfil e dialogar com outros historiadores ou estudantes da área, como funcionam as redes do Facebook e do Orkut. Fiz um cadastro em todas que encontrei e recebo diariamente no meu e-mail a publicação de novos textos, o relatório de discussões, entrevistas, e assim o historiador pode também contribuir com seus conhecimentos além de receber mais informações sobre diversos temas, mantendo-se sempre atualizado. Postei apenas um desses blogs, o Café História, mas há outros do mesmo tipo, porém menos ricos, em que também se pode aproveitar o ambiente para aprimorar conhecimentos.


Sabendo dosar, ir aos locais certos, e, sobretudo, identificar as falhas inúmeras que se encontra na rede, a internet se torna um instrumento não apenas de pesquisa muito rico, mas também de constante atualização dos conhecimentos próprios, e que sem dúvidas contribui muito para a atividade docente, no despertar do interesse dos alunos e no interesse do próprio professor em ter capacidades cada vez maiores de transmitir seus conhecimentos.

 

A Ditadura Militar como exemplo de uma história que ainda permanece

 

 

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO USP

SEQUÊNCIA DIDÁTICA

A Ditadura Militar como exemplo de uma história que ainda permanece

 

 

Rafael Ferreira de Campos

 

Nº USP: 8030440

 

Ensino de História: Teoria e Prática VESPERTINO Antônia Terra

SÃO PAULO – 2014

 

 

TEMA: A Ditadura Militar como exemplo de uma história que ainda permanece

 

 

Inicialmente, o professor deve considerar que para maior aproveitamento da atividade por parte dos alunos, é necessário ter acesso aos seguintes equipamentos: Notebook, retroprojetor e, dependendo do caso, um rádio . Caso não for possível a utilização dos mesmos, a disponibilização de textos, músicas e imagens serão restabelecidos de acordo com o critério do docente.

 

 

OBJETIVO: Através de debates, análise de textos, charges e músicas, trabalhar não só o Regime Militar propriamente dito – situando as práticas de tortura e repressão e os movimentos de protesto – , como também as suas permanências. A ideia é que as atividades mostrem aos alunos a proximidade existente entre eles e a disciplina de História, assim como a sua importância para o desenvolvimento de uma consciência crítica.

 

 

Chuvas e enchentes em São Paulo

Aluno (a): Gustavo Tadeu dos Santos
Disciplina USP: FLH0425
Docente responsável: Antonia Terra de Calazans Fernandes

 

     Esta sequência didática pretende problematizar a questão das chuvas e das enchentes em São Paulo, relacionando o agravamentos dessa situação com a opção de um modelo urbanístico que privilegia a técnica automobilística.

Finalidade

     A partir da análise de documentos audiovisuais e textuais, problematizar, juntamente com os alunos, a vida urbana numa cidade edificada em locais sujeitos a inundações, como é o caso de São Paulo.

     Espera-se, com este roteiro, que os alunos possam refletir criticamente a respeito do modelo de urbanização adotado em São Paulo, de impermeabilização do solo e de opção pelo transporte automobilístico.