A evolução da escolaridade feminina brasileira no estudo de diversas fontes - século XIX ao XXI

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS
Sequência didática
A evolução da escolaridade feminina brasileira no estudo de diversas fontes - século
XIX ao XXI
Isabela Rodrigues de Souza
Número USP: 8980089
SÃO PAULO
2015

 

Tema:
A evolução da escolaridade feminina brasileira no estudo de diversas fontes - século XIX ao XXI.


• Público alvo: alunos do 9º ano do Ensino Fundamental.


Objetivos:
A elaboração dos fatos históricos, ao longo do tempo, tem mostrado uma clara preferência pela
História do homem e das grandes figuras masculinas, permeados por uma visão eurocentrica. Isso
levou a exclusão dos agentes femininos como construtores dos acontecimentos, sendo esse assunto
interesse de pesquisa apenas recentemente.


Este trabalho quer contribuir, de certo modo, para a elevação dos estudos que possuem as mulheres
como foco central em análises sobre a educação. Pensando nisso, o intuito dessa sequência didática
é a elucidação da história da educação das mulheres desde a permissão de ensino ao gênero
feminino até os dias de hoje.


Para isso, será realizado um estudo comparativo de textos e leis referentes ao final do século XIX e
início do XX e relatos recolhidos pelos alunos com avós, mães, outros familiares e/ou vizinhas
relativos a segunda metade do século XX. Destarte, os estudantes conseguirão observar as
principais mudanças no decorrer do tempo. Ademais, enfatizar-se-á que os próprios alunos podem
ser construtores do saber histórico, pois os dados para análise da educação das mulheres no século
XX serão recolhidos e examinados por eles mesmos.

 

Ensino de História da África – A Graphic Novel: Sundiata, O Leão de Mali

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO São Paulo, 20 de junho de 2015

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Ensino de História: Teoria e Prática Professora: Antônia Terra

Aluna: Michele Carneiro da Silva – n° USP: 8030756

Sequencia Didática

TEMA: Ensino de História da África – A Graphic Novel: Sundiata, O Leão de Mali

 

 

 

Justificativa:

A necessidade de se estudar História da África em nosso país ainda se faz presente; os mais de trezentos anos de escravidão e suas consequências devem ser estudados e combatidos a partir de políticas afirmativas. A implementação da lei 11.645 contribuiu para que a reparação histórica começasse a fazer efeito no âmbito escolar, no entanto, várias dificuldades se colocam para o professor e para o próprio aluno, como por exemplo a falta de material didático nessa área, que possibilite apresentar a cultura africana sem os estereótipos enraizados ou sem o apagamento vigente na maioria dos livros oficiais.

A partir da tentativa de se estudar esse conteúdo, buscaremos aproveitar a história em quadrinhos e sua linguagem moderna e universal para contribuir em um debate acerca do que conhecemos do Continente Africano, quais os estereótipos e quais as semelhanças que podemos encontrar em relação a nossa cultura, e para isso utilizaremos  a Graphic Novel Sundiata, O Leão de Mali.

 

Objetivo:

Buscaremos estabelecer contato entre os alunos e o épico de Sundiata, que conta a história de fundação do Império Mali. Sundiata, importante guerreiro com uma saga riquíssima e com diversas versões de seus feitos, é um belo exemplo da tradição oral das culturas africanas.  Dessa forma, para apresentar aos alunos esse épico utilizaremos a história em quadrinhos produzida pelo importante quadrinista Will Eisner, que decidiu recontar esta saga.

Povos Indígenas em São Paulo

João Victor Barros Geraldes
FFLCH/USP
23/01/2014
Povos indígenas em São Paulo2014

povos indígenas em sp

Introdução:
 
Procurei estruturar esta sequencia didática de modo que os alunos percebam que a questão indígena é uma questão perene na história do Brasil. Organizei estudos históricos que vão desde o século XVI até os dias atuais, de modo a demonstrar mudanças e permanências da temática indígena. Atualmente, muitas lutas e reivindicações dos povos autóctones se assemelham àquelas que ditaram o ritmo das disputas contra os colonizadores nos primeiros tempos da colonização, principalmente quando nos voltamos à questão da terra.
 
Nas nove sessões aqui presentes, encontram-se leituras indicadas ao professor, documentos escritos, vídeos, imagens etc. visando auxiliar o professor na condução das aulas do curso, bem como propostas de métodos didáticos para cada aula.